Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Inverno Quente

Inverno Quente

25
Fev19

Devemos desinfectar a roupa dos bebés?

invernoquente

 

Recentemente dei por mim num fórum de mães em que se debatia como desinfectar a máquina para lavar a roupa do bebé. Tive de reler porque pensei que estava a ler mal - desculpem, como? Desinfectar a máquina? E tencionam fazer isso só uma vez ou sempre que lavarem a roupa de bebé? Não me levem a mal, eu sei que as máquinas da roupa se devem lavar de vez em quando e que algumas até têm programas de auto-lavagem. Mas penso que estamos a cair num exagero: a lavagem na máquina, a secagem e o ferro são mais do que suficientes.

Primeiro temos a lavagem na máquina. Em princípio, um bom detergente e a centrifugação são mais do que suficientes para limpar as roupas. Além disso não agredimos a pele do bebé - que, lembrem-se, é sensível e pode não reagir bem aos desinfectantes. Às vezes, quando sei que a roupa (a minha, a do bebé ou a de quem for) está particularmente suja (por exemplo, porque esteve em contacto com animais ou se fomos ao centro de saúde) junto um pouco de água oxigenada à lavagem. Mas é só! Nada de agentes agressivos.

Depois ainda temos todo o tempo que a roupa leva a secar. Reparem: se a lavagem ficou bem feita, então já eliminámos qualquer “bichinho” que a roupa possa ter. Mas no caso de algum sobreviver, como é que aguenta durante dias ao sol, a secar, sem restos de pele ou matérias orgânicas para se alimentar? Os ácaros acabam por desaparecer, e quase todos os vírus morrem à temperatura ambiente e longe de organismos vivos (alguns demoram algumas horas e outros demoram dias, mas acabam por morrer).

A maioria das roupas ainda é passada a ferro a 110ºC, uma temperatura que por si só é capaz de eliminar quaisquer vestígios que possam contagiar o bebé. Então, a que se deve tanto preciosismo com a desinfecção da roupa de bebé? A lavagem da roupa normal e com os cuidados adequados tem um risco de contaminação negligente - as doenças que os nossos bebés apanham são contraídas cá fora, em contacto com outras pessoas, com objectos contaminados e pelo ar.

Quando se trata de bebés, lembrem-se de usar processos tão naturais quanto possível. Métodos não agressivos! A água e o sabão azul do tempo das nossas mães eram tão bons desinfectantes como os detergentes que usamos agora e eram suaves. Portanto, não caiam no exagero de criar “bebés de estufa” que só tocam em objectos e pessoas esterilizadas a toda a hora. Não os estão a ajudar a criar defesas, nem se estão a ajudar a vocês próprios - relaxem e deixem que o vosso bebé descubra o Mundo!

 

17
Fev19

O que esperar dos cursos pré-parto?

invernoquente

Ser mãe ou pai é algo que vamos aprendendo por instinto. Mas não há nada de errado com querermos estar mais preparados para aquela será que maior aventura das nossas vidas. Pelo contrário, os cursos pré-parto podem ser excelentes para os pais de “primeira viagem” que não sabem bem o que os espera.

Claro que erguem-se logo vozes a dizer que “antigamente não se faziam cursos” e que “as coisas aconteciam na mesma”. Primeiro, não há nada de surpreendente nisso: comecei este texto a dizer que a maternidade e a paternidade se aprendiam por instinto. Mas enquanto alguns pais vão aprendendo à medida que acontece, outros gostam de ver os “spoilers”, treinar e praticar.

Na verdade, todos os pais (mesmo os que já têm outros filhos) podem beneficiar destes cursos pré e pós-parto. Quanto mais não seja, porque são uma oportunidade de falar com outros pais que estão a passar pelo mesmo processo e que podem ter exactamente as mesmas dúvidas e receios.

Entre as coisas que as futuras mamãs podem aprender nos cursos pré-parto estão técnicas de respiração, exercícios com bolas de pilates e como detectar os sinais de que está a entrar em trabalho de parto. Mas a maioria dos cursos também inclui outras dicas de ouro para os pais: como segurar no bebé, como dar banho e até como trocar fraldas. Alguns cursos tocam ainda no tópico da amamentação.

Dois dos centros mais conhecidos em Lisboa são o Centro Pré e Pós Parto (CPPP) e o Centro do Bebé. A Cat do “nem mais nem menos” deixou um depoimento sobre a experiência que teve com o CPPP no curso de pré-parto e acha que as dicas que aprendeu lhe vão ser muito úteis. Seja qual for o centro que escolherem, procurem sempre críticas de outras mamãs para saber o que esperar de cada curso. Já agora, podem seguir o desenvolvimento do baby da Cat, porque agora é que se vê se o curso foi útil ou não!

09
Fev19

Onde comprar brigadeiro vegan em Lisboa?

invernoquente

Quem é que resiste a um bom brigadeiro? Eu não, vocês não. Ninguém resiste! Foi assim que nasceu o blog Doçuras Sem Travessuras: apesar de ser um blog generalista que fala um pouco de todas as lutas que passamos ao longo da vida, talvez a principal seja resistir à gula. Felizmente, a Mónica tem várias receitas inventadas pela própria e muitas delas são vegan!

 

IMG_20190103_193015_450 - Cópia.jpg

 

A melhor parte é que a maioria das receitas incluem um ingrediente chave: chocolate. Para quem é chocólatra, é isso que torna o brigadeiro tão irresistível. O brigadeiro tradicional tem apenas três ingredientes: leite condensado, margarina e chocolate. Mas claro que há variações do brigadeiro: brigadeiro com chocolate branco, brigadeiro com coco, brigadeiro de limão, brigadeiro de morango e por aí fora, até onde a imaginação nos levar. Vejam só as fotos: 

 

brigadeiro-prestigio-300x262.jpg

 

received_10157416644259115.jpeg

IMG_20181212_202653_849 (1).jpg

IMG_20180503_233816_121 (1).jpg

 

Já estão com água na boca? A Mónica tem receitas do brigadeiro tradicional e do brigadeiro de chocolate com coco. Mas duas das receitas que me chamam mais a atenção são as de brigadeiro vegan (sem leite condensado): o brigadeiro vegan de limão com canela e o brigadeiro vegan “paixão tropical”, com frutos tropicais.

O chocolate combina com tudo, disso não há dúvidas, e adoraria provar estas pequenas iguarias! E a cereja no topo do bolo: mousse de brigadeiro vegan. Quem diria que é possível fazer não só brigadeiro vegan, mas também mousse?!  

 

IMG_20190103_193934_978.jpg

IMG_20190103_194202_798.jpg

 

No que diz respeito às tartes, já não há opções vegan no cardápio. Mas para quem é ovolactovegetariano apenas, há três que não podem escapar: a tarte de brigadeiro (claro!), a tarte de chocolate (a favorita cá de casa) e a tarte de cereja, para quem prefere sobremesas à base de fruta. E se tudo isto vos parece demasiado doce, escolham apenas uns bombons. São tão pequeninos que não contam!

 

IMG_20180613_144321_576.jpg

Para encomendar, basta contactar a Mónica para o docecomoomel@sapo.pt ou telefonar 963728483. Bom apetite!



Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Links

Diversão

Gadgets

Alimentação

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D